PELE E CABELO CASTIGADOS PELO SOL

Com o fim do período de férias, que nesta época do ano é sinônimo de muitas praias e piscinas, é preciso redobrar os cuidados com cabelos e peles, castigados pela combinação sol, mar e cloro, usado nas piscinas. Enquanto os cabelos podem apresentar aspecto quebradiço e ressecamento, problemas de pele, como melasmas, podem ressurgir com bastante intensidade.

Médica dermatologista, Letícia Bortolini destaca que nesta época do ano há um aumento na procura por tratamentos reparadores, por conta de eventuais excessos cometidos no verão ou até mesmo pelas características da estação. “O grande problema é que muitas destas pessoas buscam tratamentos com profissionais que não são tricologistas, especialistas que possuem grande conhecimento e um tratamento mais eficaz”.

O tricologista, dermatologista especialista em pelos e cabelos, estuda e encontra solução para muitos distúrbios capilares. Mais do que uma questão puramente estética, uma eventual queda de cabelo, por exemplo, pode ser um sutil sinal de um problema mais grave. “Também por isso é importante a busca por pessoas qualificadas, que vão identificar justamente a origem de eventuais problemas”, ressalta Letícia Bortolini.

Na Clínica Enlapy, os pacientes têm o que há de melhor em tratamento capilar, com a marca francesa Phyto, uma das mais conceituadas e cultuadas do mundo. No total, são quatro os rituais – como são conhecidos os protocolos de tratamento – disponíveis. “Para quem busca a revitalização dos fios há o ritual Detox, que purifica e limpa o couro cabeludo e os fios, com elixir 100% botânico, o que assegura limpeza, oxigenação, tonicidade e equilíbrio”, explica a médica.

PELE – Além da questão capilar, a pele costuma ser bastante castigada nessa época do ano e um dos problemas mais comuns é a intensificação do melasma. Estimativas apontam que, todos os anos são registrados 150 mil casos da doença, que geralmente se manifesta no rosto das pessoas atingidas. 

O melasma se caracteriza como uma hiperpigmentação da pele, que resulta na formação de manchas escuras e formato irregular.

Por conta disso, ressalta Letícia Bortolini, é importante a retomada de tratamentos que atenuem as manchas, uma vez que o melasma não tem cura. “Existem cremes, clareadores e peelings, que trabalhados por um profissional de forma combinada ou isolada, podem devolver o aspecto normal para a pele”.