Incontinência urinária

Incontinência urinária é uma condição que consiste na perda involuntária de urina. Costuma afetar bastante a qualidade de vida do indivíduo, comprometendo seu bem-estar físico, emocional, psicológico e social. Pode acometer homens e mulheres de todas as idades.

 

Causas

 

A eliminação de urina é controlada pelo sistema nervoso autônomo. Entretanto, pode ficar comprometida em casos de:

 

  • Comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico;
  • Gravidez e parto;
  • Tumores malignos e benignos;
  • Doenças que comprometem a bexiga;
  • Obesidade;
  • Tosse crônica dos fumantes;
  • Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal;
  • Bexigas hiperativas que contraem mesmo sem a vontade do paciente.

 

Incontinência nas mulheres

 

O sexo feminino é o mais afetado pela condição. Embora possa surgir em qualquer idade, é mais comum a partir dos 50/60 anos. Essa prevalência é atribuída ao fato de que a mulher apresenta, além da uretra, duas falhas naturais no assoalho pélvico, chamadas de hiato vaginal e hiato retal.

 

Dessa forma, as estruturas musculares que dão sustentação aos órgãos pélvicos e produzem a contração da uretra para evitar a perda urinária, bem como o músculo que forma um pequeno anel em volta da uretra, sejam mais frágeis.

 

Incontinência nos homens

 

Quando o homem não apresenta problemas neurológicos, a incontinência costuma estar associada à história de cirurgias na próstata. Durante o procedimento, pode haver lesão do esfíncter ou do nervo responsável pelo seu funcionamento, o que leva a perdas de urina. Além disso, elas podem ocorrer devido a um excesso de contrações da bexiga durante o enchimento ou de transbordamento da urina.

 

Dentre os pacientes submetidos à ressecção transuretral da próstata, cerca de 1% evoluem com incontinência urinária. Já nos que passaram por prostatecomia radical (remoção completa da próstata), a complicação pode ocorrer em 2% a 10% dos casos.

 

Tipos de incontinência urinária

 

  • De esforço: o sintoma inicial do problema é a perda de urina ao tossir, rir, fazer exercício ou qualquer outro movimento;
  • De urgência: mais grave do que o tipo anterior. Se caracteriza pela vontade súbita de urinar que ocorre durante atividades diárias e a pessoa acaba eliminando urina antes mesmo de chegar ao banheiro;
  • Mista: associa os dois tipos de incontinência, sendo impossibilitado de controlar a perda urinária.

 

Tratamento

 

Para a incontinência de esforço, o tratamento costuma ser cirúrgico. Na cirurgia de Sling, um suporte é colocado para reestabelecer e reforçar os ligamentos que sustentam a uretra, promovendo seu fechamento durante o esforço. Além disso, exercícios podem ajudar a fortalecer a musculatura do assoalho pélvico.

 

Já no caso de incontinência de urgência, o tratamento é feito através de medicamentos, substâncias anticolinérgicas para evitar a contração vesical, e fisioterapia.

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]