Tatuagem: as técnicas mais modernas para remoção

Não há nada de errado em se arrepender de uma tatuagem. A boa notícia é que uma tecnologia moderna remove os desenhos com mais eficácia e menos dor

Nome de ex-namorados, desenhos que não fazem mais sentido, datas que já não remetem a um bom momento. Esse são alguns dos inúmeros motivos que podem levar uma pessoa a se arrepender e desejar a remoção de uma antiga tatuagem. Mas como decidir se realmente vai se submeter a este processo quando as dúvidas são muito maiores do que as explicações?

Algumas celebridades, como Eva Longoria e Megan Fox, podem servir de exemplo quando buscamos referências de procedimentos que realmente deram certo. Por meio da nova tecnologia de laser de picossegundos, o Pico Ultra 300, o resultado será melhor impossível. “Essa tecnologia de laser de picossegundos é um avanço importante que permite tratar uma ampla gama de fototipos e diferentes cores de tatuagem”, explica a dermatologista Dra. Letícia Bortolini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Abaixo, a médica explica os principais detalhes do procedimento. Confira! 

A técnica:

O laser Pico Ultra 300 é uma tecnologia de picossegundos, ou seja, ultrarrápida. Ao entrar em contato com o pigmento, o laser fragmenta essa cor em pedaços muito pequenos, então ela é mais facilmente eliminada. O alvo do laser é apenas o pigmento, então o procedimento é mais suave e não tem downtime (tempo de recuperação), sendo que o paciente pode voltar imediatamente às atividades normais após a sessão. Com a duração de pulso ultracurta, a dor é menor durante o tratamento e a recuperação é bem mais rápida. Até mesmo tatuagens pré-tratadas e de difícil remoção podem ser eliminadas.

Qual o maior avanço dessa tecnologia?

Hoje, mesmo tatuagens profissionais e amadoras são removidas rapidamente com um número de sessões bem menor se comparado aos lasers convencionais de Q-switched. Além disso, a duração de pulso de calor tão curta (da ordem de um picossegundo) do Pico Ultra 300 minimiza a duração das sensações dolorosas, o risco de queimadura e cicatrizes pós-procedimento.

Como é a sessão?

Cada sessão dura entre 10 e 20 minutos, dependendo da superfície a ser tratada (e do tamanho da tatuagem). O laser vai clarear a tatuagem e desde a primeira sessão já é possível ver algum resultado. Mas tatuagens mais coloridas e maiores precisam de mais sessões para eliminá-las adequadamente. No geral, os protocolos podem ser feitos de seis a 10 sessões, com intervalos mensais, mas é importante pontuar que existem diversas variáveis, desde a natureza da tinta, a sua quantidade, o tipo de pele, as camadas da tatuagem (se for uma cobertura de uma anterior), cicatrizes pré-existentes, até sua profundidade.

Como é o nível de dor?

O procedimento é dolorido, mas é aplicado uma anestesia injetável, o que melhora o conforto do paciente.

Fica cicatriz?

Não. É muito incomum que o paciente fique com uma cicatriz na região, a menos que ela já existisse antes da tatuagem. Nesse caso, podemos usar outros lasers, como CO2 fracionado ou Erbium:Yag para melhorar a cicatriz pré-existente. Após o procedimento de remoção da tatuagem, aplicamos uma espessa camada de pomada cicatrizante na área tratada e o paciente deve seguir algumas recomendações, como: evitar saunas, piscina e banheiras; após 48 horas, a área pode ser molhada mas não deve ser esfregada; e recomendamos sabonete neutro. A preocupação mais importante é não expor a área ao sol e após a cicatrização, que é algo muito individual, usar sempre fotoprotetor na região, para não manchar. De qualquer maneira, é importante enfatizar que esse é um procedimento dermatológico, então procure sempre um médico para realizá-lo.